Prefeitura monitora de praias de Aracruz para controle de caramujo nocivo a saúde

A equipe técnica do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) está monitorando praias de todo município de Aracruz para observar possíveis infestações de caramujo gigante africano – uma espécie exótica invasora que não pertence à fauna silvestre nativa e que pode ser nociva à saúde pública.

O objetivo é garantir a qualidade ambiental das praias de Aracruz. Além dos possíveis impactos à fauna e flora e a transmissão de doenças, a concha do caramujo morto pode servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Em Barra do Sahy, por exemplo, a equipe do CCZ coletou aproximadamente 40 quilos da espécie.

“A melhor forma de combater tanto os moluscos quanto os mosquitos, é cuidando da limpeza de nossos quintais e terrenos, pois geralmente são nesses locais que eles se escondem” explica a secretária de saúde, Juliana Soneghet Baiocco Louzada.

Descarte correto
De acordo com o Centro de Controle de Zoonozes, uma das maneiras de fazer o descarte correto é quebrando a carcaças e enterrando. O mesmo destino deve ter seus ovos, impedindo, assim, a proliferação dessa espécie.

É importante proteger as mãos com luvas ou saco plástico, evitando qualquer contato com o molusco. Em caso de contato com o caramujo ou do contato de seu muco direto com a pele, basta lavar bem a área com água e sabão.

Fora de seu habitat natural, os caramujos vivem em ambientes sujos e úmidos, especialmente em terrenos com acumulo entulhos ou vegetação. Ao constatar a presença de grande quantidade de caramujos, o melhor a fazer é entrar em contato com o setor de zoonoses do município para que a retirada dos seja realizada de maneira adequada.

SERVIÇO:

Centro de Controle de Zoonozes (CCZ)
Telefone: 27 3270-7480
Atendimento: segunda à sexta-feira, das 8 as 17h