Hartung apresenta modelo de gestão capixaba e discute cenário nacional em São Paulo

Na tarde desta segunda-feira (04), o governador Paulo Hartung retomou a agenda de palestras nacional com apresentação no Encontro Anual de Movimento Brasil Competitivo (MBC). Realizado em São Paulo, o encontro tem como objetivo discutir cultura de governança, promoção da gestão de excelência e retomada da competitividade nacional.

Na oportunidade Hartung falou sobre o modelo de gestão capixaba e necessidade do país realizar reformas estruturantes para recuperar o crescimento, geração e emprego e renda. O evento foi realizado no WTC, Espaço Vivaldi, Brooklin Novo, em São Paulo.

Hartung apresentou a política de austeridade fiscal desenvolvida pelo Governo do Estado, apontou as potencialidades do Espírito Santo para atração de capital privado e comentou o cenário socioeconômico do país. Hartung também falou sobre o novo modelo de gestão pública.

Durante o evento, Hartung afirmou que, apesar das leis arcaicas que regem o país, é possível fazer com que o serviço público seja eficiente e de qualidade. Hartung defendeu a reforma do Estado brasileiro e ressaltou que a legislação precisa estar focada em resultados que efetivamente melhorem a qualidade de vida da população.

Hartung apresentou o modelo capixaba, discutiu gestão pública e os desafios enfrentados pelo Brasil no atual contexto socioeconômico. Ao analisar o contexto nacional e a realidade do Estado, Hartung foi pragmático ao afirmar que acredita na recuperação da economia do Brasil e ressaltou que o Espírito Santo está preparado para as oportunidades do pós-crise.

MBC

Desde 2001, o Movimento Brasil Competitivo aproxima os setores público e privado, investe na cultura de governança, promove a gestão de excelência com o objetivo de ampliar a competitividade nacional, o aumento da capacidade de investimento do Estado e a melhoria dos serviços públicos essenciais oferecidos aos brasileiros. A MBC tem como missão promover a competitividade sustentável do Brasil, elevando a qualidade de vida da população e define como visão contribuir para que o Brasil seja uma das 30 nações mais competitivas do mundo até 2030.

Com informações da Secom/ES