Governos do ES e de MG discutem retomada das atividades da Samarco

Os governos de Minas Gerais e Espírito Santo se reuniram neste domingo (16) em Belo Horizonte para discutir a retomada das atividades da Samarco.

A empresa está com suas atividades operacionais paralisadas desde o rompimento das barragens, em novembro de 2015, em Mariana, Minas Gerais, considerado maior desastre ambiental da História do Brasil, de acordo com o Ibama. Na tragédia, 19 pessoas morreram e milhares de pessoas ficaram desabrigadas.

Estiveram presentes no encontro deste domingo o governador de MG, Fernando Pimentel; o vice-governador do ES, César Colnago; o secretário de Desenvolvimento do ES, José Eduardo Azevedo; o prefeito de Anchieta, Fabricio Petri; o presidente da Samarco, Roberto Carvalho; o presidente eleito da Findes, Leonardo de Castro; secretários de estado de Minas, diretores da Samarco e industriais capixabas.

A discussão para o reinício das operações, a partir de 2018, está dentro das expectativas dos prefeitos das cidades que estão passando por dificuldades financeiras após a paralisação das atividades da Mineradora, em 2015. Anchieta (ES) e Mariana (MG) sofreram grande queda de receita e convivem com um grave quadro de desemprego na população.

Segundo o Governo do ES, o licenciamento ambiental necessário para a volta da Samarco já se encontra em andamento. A partir da reunião deste domingo o Governo de Minas se comprometeu em continuar buscando um entendimento com a prefeitura de Santa Bárbara para que os ajustes finais avancem. O objetivo é garantir a liberação da licença para que a empresa possa tomar as medidas a tempo de voltar a operar já em 2018.

Hoje a Samarco representa 6% do PIB capixaba e 1,5% do PIB mineiro.

Com informações do Governo do Espírito Santo